Buscar em
 

IA 313 - Avanços tecnológicos na irrigação


R$ 15,00

Compre já: IA 313 - Avanços tecnológicos na irrigação v.42,n.313 Ano 2021- 108 páginas

v.42,n.313 Ano 2021- 108 páginas -

Sumário
EDITORIAL .............................................................................................................. 3
ENTREVISTA .............................................................................................................. 4
Análise da disponibilidade hídrica e agricultura irrigada
Everardo Chartuni Mantovani e Aziz Galvão da Silva Júnior ..... 7
Metodologias de estimativa da evapotranspiração da cultura: tecnologias atuais
Reinaldo Lúcio Gomide, João Batista Ribeiro da Silva Reis, Fúlvio Rodriguez Simão, Mário Sérgio Paiva de Araújo, Elias Fernandes de Sousa e Flávio Gonçalves Oliveira ..... 17
Avaliação do uso da água para irrigação no estado de Minas Gerais
Marília Carvalho de Melo, Marcelo Fonseca, Marcus Vinicius Araujo Mello de Oliveira, Fúlvio Rodriguez Simão, Flávio Gonçalves Oliveira e Ana Silvia Pereira Santos ..... 31
Uso de águas de qualidade inferior para a irrigação
Claudio Augusto Uyeda, Flávio Gonçalves Oliveira, Fúlvio Rodriguez Simão e Pedro Robinson Fernandes de Medeiros ..... 46
Avanços tecnológicos dos equipamentos e emissores de irrigação
Marcus Vinícius Viana Schmidt, Carlos Barth, Marcus Henrique Tessler, Flávio Gonçalves Oliveira, João Batista Ribeiro da Silva Reis e Mário Sérgio Paiva de Araújo ..... 56
Uso de sensoriamento remoto: imagens de satélite e Vants no gerenciamento da agricultura irrigada
Roberto Filgueiras, Luan Peroni Venancio, Silvânio Rodrigues dos Santos, Willer Fagundes de Oliveira, Flávio Gonçalves Oliveira e João Batista Ribeiro da Silva Reis ....... 69
Uso de energia solar fotovoltaica na agricultura irrigada
Vânia Reis de Souza Sant’Anna, Flávio Gonçalves Oliveira, Maria Joselma de Moraes e João Batista Ribeiro da Silva Reis ...... 79
Análise da viabilidade econômica na implantação de sistemas de irrigação
Flávio Gonçalves Oliveira, Allan Cunha Barros, Marcelo Rocha dos Santos e João Batista Ribeiro da Silva Reis ....... 91
Projeto de piscinões para armazenamento de água para irrigação
Luiz Antonio Lima, João Batista Ribeiro da Silva Reis, Polyanna Mara de Oliveira e João Paulo Gomes Ferraz Pinheiro ....... 101














EDITORES TÉCNICOS
João Batista Ribeiro da Silva Reis
Flávio Gonçalves Oliveira
Polyanna Mara de Oliveira
CONSULTOR TÉCNICO
Marcelo Abreu Lanza (EPAMIG Centro-Oeste)


Apresentação
A história da civilização confunde-se com a da irrigação. O homem vem utilizando as técnicas de irrigação há milênios, como forma de garantir e aumentar tanto a produção como a produtividade das lavouras. A tecnologia da irrigação manteve-se com base no método por superfície até a metade do século passado, sendo aos poucos incorporados os métodos de irrigação por aspersão nas suas diversas modalidades e de irrigação localizada a partir da terceira década do século passado. Entretanto, o uso maciço da mão de obra humana para o seu manejo ainda era comum até o início dos anos 2000.
Com a globalização, a produção e o comércio tornaram-se muito intensos e facilitados em função do advento da comunicação via internet, fazendo com que a concorrência se acirrasse e obrigando a todos fabricantes de equipamentos, produtores rurais e demais participantes da cadeia produtiva buscarem soluções que permitissem a redução dos custos, da necessidade de mão de obra, bem como do consumo de água e energia necessários à produção.
Diante desse cenário, os equipamentos de irrigação passam a ser desenvolvidos com maior tecnologia, focando na fabricação de emissores e de sistemas de automação mais eficazes, e na disponibilização de sistemas de irrigação potencialmente mais eficientes e com facilidade de uso. Aliado a isso, o forte apelo ambiental exigido pela sociedade atual levou ao desenvolvimento de tecnologias que permitem o uso de sensoriamento remoto, com vistas ao gerenciamento da irrigação mais preciso e de longo alcance territorial. Todas as tecnologias modernas estão hoje à disposição para o uso da agricultura irrigada pensando sempre no bom planejamento dos recursos hídricos e energéticos disponíveis, levando em consideração os aspectos sociais, ambientais e econômicos, sendo os pontos-chave abordados nesta edição do Informe Agropecuário.

João Batista Ribeiro da Silva Reis
Flávio Gonçalves Oliveira
Polyanna Mara de Oliveira




Uso racional e sustentável é essencial para a agricultura irrigada

O uso racional da água tem-se tornado uma preocupação geral no Brasil e no mundo, diante da escassez já identificada em muitos países. Essa preocupação perpassa tanto os consumos domésticos, industriais e, especialmente, o uso da água na agricultura. Estudos apontam que a agricultura responde por cerca de 70% do uso da água e, segundo a Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (Unesco), projeções futuras demonstram que a demanda de água para a produção de alimentos deve ainda crescer 50% em 2030 e 70% em 2050. No Brasil, estudo elaborado pela Agência Nacional de Águas e Saneamento Básico (ANA) concluiu que a agricultura irrigada foi responsável por 49,8% da retirada total de água em 2018.
É importante ressaltar que a irrigação sempre foi fator de riqueza para muitos povos da Europa e da Ásia, que há mais de 4 mil anos se fixaram às margens de rios como estratégia de desenvolvimento. Também é importante considerar que a agricultura irrigada moderna está conectada com a sustentabilidade e, por apresentar grande capacidade de intensificação na produção de alimentos, fibras e agroenergia, sem ampliação da área de produção, tem forte conotação estratégica de desenvolvimento. Para isso, é necessário o acesso seguro aos mananciais superficiais e subterrâneos, de modo que o produtor rural possa captar, conduzir e distribuir a água de forma adequada para as plantas. O aumento da demanda dos recursos hídricos, associado à menor disponibilidade de água, requer que os usos sejam cada vez mais eficientes, que tecnologias e inovações sejam embarcadas no processo, para que agricultor e irrigação atendam às necessidades da população na produção de alimentos, assegurando uma utilização racional da água.
Dessa forma, sendo a água um insumo estratégico para a agricultura, a gestão de recursos hídricos, com base na segurança hídrica, é uma prioridade para toda a sociedade especialmente no fomento à inovação tecnológica, no emprego de técnicas de uso eficiente de água e fontes alternativas, como o reúso.
Esta edição do Informe Agropecuário apresenta um panorama da irrigação em Minas Gerais e no Brasil e busca, por meio de estudos e avanços tecnológicos, o desenvolvimento da agricultura irrigada de forma sustentável.

Nilda de Fátima Ferreira Soares
Presidência da EPAMIG

SEDE: Av. José Cândido da Silveira, 1647 • União • BH • MG • CEP:31170-495 • TEL.: (31) 3489-5000